terça-feira, 31 de maio de 2011

Dez Pecados Capitais do Café Coado


Preferência nacional, o café coado, o nosso cafezinho de cada dia, pode ser feito de diversas maneiras. Mesmo sem poder viver sem nosso cafezin, algumas coisas podem prejudicar a qualidade do nosso "esquenta corpo" ou "acordador diário", ou como quer que queiram chamar. Abaixo, listamos 10 pecados capitais que podem facilmente ser evitados a fim de melhorar a nossa bebida.

1 -  Não usarás qualquer água. A água representa cerca de 90% de uma xícara de café e é o elemento que extrairá tudo o que o grão tem de melhor ao passar pelo pó. Se a água tiver muito cloro ou impurezas, seu sabor será profundamente afetado. Por isso, prefira sempre utilizar água filtrada ou água mineral.

2 - Não usarás pó de café velho. A qualidade e o frescor do café são características essenciais para o pretinho ficar bom. Nada de usar um café que está aberto há semanas ou que foi comprado meses atrás. Sempre prefira comprar em pequenas quantidades e um café de boa qualidade.

3 - Não reaproveitarás o café. Em algumas casas, é comum reutilizar o resto de um café “velho” que está na garrafa térmica há horas, colocando-o para aquecer e passando sobre um pouco de pó novo (virgem). Isso é conhecido como “recircular” o café. A bebida fica áspera e amarga, pode causar problemas de saúde, já que utiliza um café já oxidado, e a economia é mínima. Melhor fazer um café totalmente fresquinho.

4 - Não deixarás a água ferver. Se você utiliza água filtrada ou mineral, não há razão para aguardar ela ferver para dar início ao preparo do café. Logo que começar a apresentar borbulhas, já apague o fogo e comece a filtragem. Ao ferver, a água perde oxigênio, o que faz com que as características de sabor e aroma do café sejam modificadas.

5 – Não colocarás açúcar na água ou no pó de café. Tudo bem, sua avó e muitas outras pessoas fazem isso desde sempre e dizem que é para facilitar. No entanto, além de mudar totalmente o sabor do café, adoçá-lo pode parecer descortês com quem gosta de apreciar a bebida sem açúcar ou a prefere com adoçante. Sem contar que o açucar contido na bebida ainda pode acabar ficando na garrafa térmica ou na tampa, prejudicando seu funcionamento. Se for mal lavada, a garrafa ainda pode se tornar uma fonte de contaminação por conta do açucar acumulado e exposto.

6 – Não jogarás rapidamente a água sobre o café. Nada de pressa ao preparar o coadinho. Comece molhando toda a superfície do pó no filtro, até que tudo fique úmido, e depois mantenha o fio de água lentamente no centro do filtro, assim você evitará que o café fique amargo.

7 – Não mexerás o café. Outro hábito bastante comum entre os brasileiros é dar uma mexidinha no café na hora em que a água está passando pelo pó. Ao fazer isso, estamos contribuindo para que os seus ricos aromas se percam.

8 – Não deixarás o café na garrafa térmica por horas. Após 20 minutos, o café preparado começa seu processo de oxidação. Por isso, o ideal é consumi-lo logo após o preparo. Quando armazenado na garrafa térmica, o café deve ser consumido até no máximo 1 hora depois de pronto. É importante lembrar que a higienização da garrafa deve ser frequente e utilizar água fervente. Os mais dedicados podem contar ainda com o auxílio de pastilhas especiais voltadas para esse uso, vendidas em lojas especializadas.

9 – Não deixarás o café na jarra da cafeteira elétrica por horas. É comum acontecer no escritório. O pessoal prepara o café, nem todos tomam e a bebida fica lá na jarra descansando sobre a placa aquecedora. Depois de 20 minutos, o café já começa a ficar cozido e tenderá a ficar cada vez mais amargo, além de prejudicar a saúde por causa da oxidação.

10 – Não lavarás o coador e o filtro com detergente. Os utensílios utilizados para preparar e armazenar o café não devem ser lavados com sabão, mas apenas com água quente. O detergente costuma deixar resíduos químicos que interferem no sabor da bebida. Se você utiliza coador de pano, escalde-o antes e depois do uso e guarde apenas depois de totalmente seco, de preferência na geladeira.

fonte IG COMIDA

Pizza Brasileira é Muito Salgada e Gordurosa, Segundo IDEC

Segundo o IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), a pizza vendida no Brasil apresenta quantidades elevadas de sódio e gorduras saturadas. O instituto pesquisou 17 sabores de cinco marcas: Pizza Hut, Domino’s, Sadia, Perdigão e Dr. Oetker.

Foram analisadas 433 pizzas e o resultado não é nada animador. O IDEC constatou que nenhuma das pizzas analisadas tem limites considerados saudáveis de sódio e gordura (ver quadro ao lado). O maior teor de sódio, por exemplo, foi encontrado na pizza de calabresa da Domino`s (1.098 mg por porção).

Em relação às gorduras saturadas, a campeã foi a de quatro queijos da Sadia (5,8 g por porção). Por outro lado, a marguerita da Domino`s e a marguerita da Perdigão apresentaram a quantidade mais baixa de gorduras (2 g) e a de mozarela da Domino`s é a que possui menos sódio (192 mg).

Entre os quatro sabores principais (calabresa, mozarela, quatro queijos e marguerita), as de calabresa são as que mais excedem o teor de sódio. Todas receberam pontuação máxima, com exceção da Dr. Oetker, que apresenta 421 mg.

Já por marcas, a Domino's apresenta os maiores índices gerais de sódio e gordura em geral. . Uma fatia de 214g da pizza Imperium Giga, por exemplo, tem 609 calorias, 18g de gordura (ou 81% da necessidade diária) e 2001mg de sódio (83% do indicado).

Das sete pizzas analisadas da Sadia, 4 estavam com quantidade excessiva de sal e gordura. Das 12 da Perdigão, 9 levaram cartão vermelho. Já das seis pizzas da Dr. Oetker só a de peperoni possuiu altos índices de sódio, mas ainda assim bem menor do que das outras marcas.

Numa tentativa de alertar as pessoas a respeito do alto consumo de sódio, a World Action on Salt and Health (Wash), grupo que tem o objetivo de melhorar a saúde da população a partir da redução do consumo de sal, analisou 530 tipos de pizzas disponíveis em cadeias de fast-food e em supermercados de dez países: África do Sul, Austrália, Canadá, Costa Rica, Estados Unidos, Finlândia, Japão, Malásia, Nova Zelândia e Reino Unido.

A pesquisa da Wash constatou que produtos do mesmo sabor e de uma mesma rede podem apresentar diferenças na quantidade de sal em países distintos. A havaiana da Pizza Hut (pizza de abacaxi com presunto) na Nova Zelândia, por exemplo, contém o dobro de sal da comercializada no Canadá.

É importante frisar que alimentos ricos em gorduras e sódio não precisam ser excluídos completamente da alimentação, mas devem ser consumidos esporadicamente e com moderação.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas as doenças cardiovasculares (enfartes, cardiopatias, derrames cerebrais, entre outros), muitas vezes resultantes do consumo exagerado de sal, provocam anualmente cerca de 17 milhões de mortes no mundo, ocupando a primeira posição na lista de problemas de saúde que mais matam. No Brasil, estima-se que 300 mil mortes por ano sejam ocasionadas por doenças cardiovasculares, sendo que 80% delas pela hipertensão arterial.


fonte UOL

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Flávio Miyamura não é mais Chef do EÑE


Depois de comandar a cozinha do EÑE (dos irmãos Sergio e Javier Torres) por 4 anos, Flávio Miyamura deixa seu cargo. A assessoria do restaurante informou que o rompimento foi por motivos de saúde, mas a decisão foi tomada repentinamente. Segundo Flávio, não houve nenhum problema entre ele e os irmão Torres, mas acrescenta que há algum tempo não concordava com algumas decisões tomadas pela administração da casa.

Miyamura, agora, pretende abrir seu próprio restaurante. “Quero buscar minha própria identidade, descobrir coisas novas, ir além”, confessa o chef, que afirma que seu restaurante não terá mais de 50 lugares, pequeno em relação ao EÑE. 

Em seu lugar fica Francisco Farah, de 24 anos, um dos cozinheiros que trabalharam com Flávio.

Festival Homenageia Culinária Italiana



A Settimana Della Gastronomia reúne 22 restaurantes de Curitiba que oferecem prato principal e sobremesa preparados especialmente para o evento por R$ 39.

Os amantes da gastronomia italiana terão a opção de pagar a conta sem surpresas durante o evento, que vai de 28 de maio até 5 de junho. O evento gastronômico reúne 22 restaurantes. Entrada, bebidas e taxa de serviço serão cobrados à parte. Dentre os estabelecimentos, há opções desde  tradicionais restaurantes italianos até os de gastronomia internacional, que criaram pratos para homenagear a Itália. O menu será servido no almoço e jantar, de acordo com o horário de funcionamento de cada local.

O evento faz parte do Mia Cara Curitiba, organizado pelo Consulado Geral da Itália em parceira com a Prefeitura Municipal de Curitiba, e antecipa as comemorações do ano da Itália no Brasil, com diversas outras atrações culturais, esportivas, sociais e religiosas.

Durante o festival, os restaurantes servirão o menu do festival gastronômico, mas continuarão atendendo com o cardápio normal. Para a harmonização dos pratos do evento, os vinhos Caldora Sangiovese e Caldora Chardonnay sairão por R$ 35 a garrafa.

A DP9, organizadora do evento, sorteará 1 voucher válido para duas pessoas por dia via twitter .

Confira aqui a lista de restaurantes participantes.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Restaurantes Servem Refeições mais Baratas como Forma de Protesto


A Confederação Nacional de Jovens Empresários (Conaje) organizou uma manifestação para protestar contra os aumentos de impostos, nesta quarta-feira, Dia Nacional de Respeito ao Contrinuinte e Liberdade de Impostos. Restaurantes de 15 cidades brasileiras servirão refeições com o preço livre de impostos.

Segundo a Conaje, a ação deste ano tem como foco o preço da alimentação pois esse item sofre grande influência dos impostos. Em uma refeição com preço médio de R$ 50 os brasileiros pagam 31,21% em impostos.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), os brasileiros pagaram R$ 500 bilhões em tributos somente até o dia 4 de maio de 2011. A média é de R$ 2,5 mil por habitante. Até o final do ano, a cifra poderá atingir a marca de R$ 7,5 mil.

matéria copiada na íntegra do TERRA

Em Biografia, Palmirinha Esquece seu Lado Divertido


Com cerca de vinte anos de carreira na TV, a cozinheira Palmirinha Onofre ficou conhecida por suas receitas triviais, sem nenhuma afetação gourmet. Sempre pareceu um pouco aquela vizinha da avó, que faz uma lasanha incrível, sempre com muitos ingredientes e técnicas que fariam grandes chefs torcer o nariz.

Palmirinha não virou sucesso apenas entre as donas de casa. Virou também um ícone pop, às vezes trash, por conta das confusões que fazia no programa ao explicar as receitas. Hesitava ao dizer o nome de utensílios corriqueiros, como se não lembrasse da palavra... “faca”, por exemplo. Vídeos com essas trapalhadas viraram sucesso na internet e serviram como propagadores de sua fama.

Agora, aos 80 anos, ela resolveu lançar um livro: Palmirinha Onofre - A Receita de Minha Vida. O livro mostra Palmirinha como a Poliana da culinária, sempre torturada pelas circustâncias, mas sem nunca deixar de ser otimista.

Junto com a jornalista Ana Cláudia Landi, Palmirinha conta de sua infância sofrida, da mãe violenta, do pai omisso, do marido boêmio, do calvário contra o câncer e como tudo foi salvo por sua força de vontade. Tudo isso intercalado por receitas que marcaram a vida da cozinheira.

Entre uma galinhada e um pudim, ela fala da infância na cidade de Bauru e revela que foi sistematicamente espancada pela mãe durante anos. Relata também que foi vendida a um fazendeiro que tentou violentá-la. Depois conta que o pai, para afastá-la dos maus tratos da mãe, a entregou num tipo de adoção informal a uma viúva francesa, com quem dividia a cama.

Palmirinha ainda revela que tinha dores nas costas terríveis no estúdio e que passou temporadas à base de calmantes para aguentar a rotina estafante dos programas ao vivo. Cansada e insatisfeita com as condições de trabalho, anunciou seu afastamento da TV em meados de 2010.

Ela não descarta a possibilidade de voltar às telas. Tomara que volte. A figura de Palmirinha na TV era divertida e acessível, seu sucesso vinha daí. É no mínimo curioso que alguém que fez a alegria de tantos tenha escolhido se despedir num livro em tom tão melancólico.

fonte UOL

terça-feira, 24 de maio de 2011

Coisas que os Fast Foods Nunca nos Disseram


Uma matéria publicada no The Wall Street Journal lista fatos interessantes que as redes de fast food nunca nos disseram. As informações tratam questões sobre alimentos, atendimento e campanhas publicitárias.

1 - Opções saudáveis são mais caras. Depois de muitos anos vendendo alimentos com alto teor de gordura e poucos nutrientes, passou-se a oferecer opções mais saudáveis. Mas o preço desses alimentos ainda é superior. Em algumas redes, as opções de frango com salada custam um terço mais do que as com hambúrguer grande. Os sanduíches de frango chegam a custar 26% a mais que os de carne vermelha.

2 - Não espere dinheiro das campanhas de doação. Muitas instituições pedem a colaboração das redes de fast-food para arrecadar dinheiro, mas segundo um relatório da Universidade do Arizona feito em 2006, 3 de cada 4 escolas que fizeram parcerias com grandes redes não receberam dinheiro algum.

3 - Os combos fazem a gente gastar mais. Mesmo sendo verdade que os combos com lanche, batatas e refrigerante em um único pedido seja menor do que a soma dos itens separados, cerca de 15% das pessoas não teriam pedido a batata frita caso o combo não fosse oferecido ou se a diferença entre os valores não fosse tão irrisória, como geralmente acontece. O cúmulo que nós já vimos é o Burger King, a única de fast food que vamos de vez em quando. Na nossa escolha tradicional, o Whooper duplo com queijo extra e bacon, se pedíssemos somente o sanduíche e o refrigerante seria mais caro que o combo com batatas fritas.
OBS: não se espantem com o exagero do pedido. Nosso lema é: já que vamos nos entupir de gordura no fast food mesmo, vamos caprichar...

4 - Os atendentes sorridentes nos fazem gastar mais. O sorriso dos atendentes não é só educação, é estratégia de marketing também. De acordo com o instituto Gallup, clientes fiéis gastam 16% a mais. E os três principais motivos de fidelização são: ser tratado como um cliente valioso, receber atendimento caloroso e o sabor dos alimentos, exatamente nessa ordem. Grande engano dos cozinheiros que achavam que a comida era o mais importante...

5 - As redes de fast food podem ajudar na proliferação de doenças. Como o próprio nome já indica, essas lanchonetes caracterizam-se por vender alimentos rapidamente e para um número muito grande de pessoas. Esse modelo de funcionamento gera o risco de que atendentes e consumidores que estejam contaminados com bactérias ou vírus transmitam patologias tão rapidamente quanto os alimentos vendidos.

6 - Os lucros das redes estão ameaçados com a inflação dos alimentos. Atualmente, o melhor investimento é comprar alimentos em seu restaurante favorito ao invés de ações dele. Segundo apontam analistas, com a alta nos preços dos alimentos e combustíveis e o desemprego que afeta EUA e Europa, os lucros das cadeias de fast-food tendem a diminuir.

7 - O preço do refrigerante permanece barato por causa de lobby. O governo dos EUA vem tentando aumentar os impostos sobre alimentos calóricos, como os refrigerantes, mas redes de fast-food investem pesado em lobby para evitar esse tipo de medida. Somente em 2010, foram gastos cerca de R$ 15,2 milhões com essa prática em Washington, diz a reportagem do Wall Street Journal. O valor é quase três vezes mais que o usado em 2005, de acordo com o Center for Responsive Politics.

8 - Os brindes não são gratuitos. Apesar de parecerem descartáveis, os pequenos brindes, normalmente brinquedos, oferecidos pelas redes de fast food têm um custo para as empresas e consumidores. Em 2006, as redes gastaram juntas R$ 588 milhões em brinquedos, de acordo com relatório da Comissão Federal do Comércio dos EUA. Por outro lado, a arrecadação com os brindes somaram R$ 569,7 bilhões.

fonte TERRA

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Arte Feita com Café no Dia Nacional do Café



Amanhã, terça feira (24/05), é dia da exposição Coffee Art do artista plástico Dirceu Veiga. São várias pinturas feitas com café espresso ao invés de tinta. A exposição celebra o Dia Nacional do Café e será no Lucca Café Especiais. Para quem aparecer, a partir das 19h30, o Dirceu estará fazendo caricaturas com a técnica de café sobre papel.

Al. Presidente Taunay, 40 – Batel.
Curitiba

fonte BAR DO CELSO

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Saiba Qual o Tipo de Batata Mais Indicada para cada Preparação



Cada batata tem uma composição diferente de água e amido. Por conta disso, cada uma tem características distintas e se encaixam melhor para diferentes preparações.

fonte G1

Arroz de Origem Controlada Brasileiro


Após um longo trabalho de seleção de sementes, melhoria da tecnologia de beneficiamento dos grãos, rigoroso aprimoramento do controle do manejo sustentável e dos cuidados ambientais de agricultura ecológica, o arroz cultivado em 12 municípios do Norte do Rio Grande do Sul tornou-se o primeiro produto brasileiro a receber uma Denominação de Origem. Ela é um certificado que atesta a qualidade de um produto e sua correta relação com os recursos naturais e humanos da região onde é produzido.

Primeiro grão do Brasil a ter essa distinção, o arroz gaúcho é cultivado por 1.474 agricultores em 12 municípios, numa área de 130 mil hectares, com produção prevista de 600 mil toneladas para este ano. Fará companhia ao exclusivo arroz espanhol de Calasparra, o primeiro do mundo a obter em 1986 a Denominação de Origem, e do francês de Camargue, que ingressou para o seleto time em 2000.

O arroz é o cereal mais consumido do planeta. Com origem na Ásia Oriental, sua produção já existe há mais de 5 mil anos. Essencial para mais de três quartos da população mundial, já são catalogadas mais de 8 mil variedades espalhadas por todo o mundo.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Ferran Adrià fala Sobre sua Ausência na Lista dos Melhores do Ano


Durante nove anos, o chef Ferran Adrià esteve por nove vezes na lista dos melhores restaurantes do mundo. No décimo ano, em 2011, nada! Nem uma menção entre os cem primeiros...

Na semana em que foi divulgada a lista da revista inglesa "Restaurant", todo mundo sabia que Ferran Adrià, do elBulli, estaria de fora, já que decidiu fechar o restaurante em julho. Conhecido como criador da cozinha molecular (título que rejeita), o chef se diz feliz, pois nunca esteve tão dentro da lista quanto agora. Segundo Adrià, os oito primeiros lugares do ranking são seus 'filhos' ou, pelo menos, foram influenciados por ele.

Ferran Adrià diz que ter ficado entre os 50 melhores restaurantes do mundo por tantos anos já alimentou seu ego o suficiente. Agora, o novo projeto é a sua fundação (elBulli Foundation), que é um centro de criatividade e que divulgará todos os resultados de suas experiências pela internet.

Como ainda estão trabalhando no tema, Ferran não pode adiantar muita coisa. Só que em 30 de julho, o elBulli vai fechar e depois ele viajará por cinco meses para descansar. A fundação começará a funcionar somente em 2014. Como esse projeto não atenderá clientes, o máximo que o chef prevê é durante 30 dias por ano convidar estudantes e jornalistas para provar as criações.

Ainda sobre o fechamento do elBulli, Adrià não se espanta das pessoas acharem estranho. Mas argumenta que isso já foi feito antes. Afinal, a oficina do elBulli começou em 1998, antes do restaurante inaugurar, e funcionou durante 6 meses em Barcelona. Ali, muito foi estudado e criado, buscando-se uma nova forma de fazer gastronomia.

fonte FOLHA DE SÃO PAULO

terça-feira, 17 de maio de 2011

Chef Estrelado Francês faz Jantar em São Paulo


O chef Eric Frechon, do restaurante do Hotel Le Bristol de Paris, com três estrelas no Guia Michelin, promove jantar nesta quarta-feira, dia 18, às 20h, no restaurante La Brasserie, de Erick Jacquin. O menu custa R$ 800,00 por pessoa, sem bebida, e terá parte de sua renda revertida para o Instituto Ayrton Senna.

O cardápio inclui tartar de tomate com manjericão, caviar de Sologne, musseline de batata com Hadoque defumado, "caviar" de berinjela, suco de pimentão amarelo, peito de pato assado e canelone de abacaxi, merengue de amêndoas e sorbet de leite de coco.

La Brasserie de Erick Jacquin.
Rua Bahia, 683. Higienópolis. 41 - 3826.5409

segunda-feira, 16 de maio de 2011

O Restaurante Mais Antigo do Mundo - Sobrino de Botín




Claro que o tempo de funcionamento de um restaurante passa credibilidade, mas também não precisava ser tanto assim... O restaurante Sobrino de Botín, aberto desde 1725, ostenta o recorde de restaurante mais antigo do mundo segundo o Guiness Book. Numa ruela no centro antigo de Madri, uma taverna abre todos os dias para o almoço e para o jantar há 286 anos, sem nunca ter mudado de nome ou de ramo de atividade.

Para entendermos a idade do restaurante, nessa época a América do Norte era dividida entre ingleses, franceses e espanhóis, o Brasil ainda era colônia e só recebia visitas de exploradores que tinham interesse comerciais e a Europa ainda era o centro do mundo, com guerras para todos os lados e infinitos reis soberanos vivendo por lá. Sorte que o mundo mudou, mas o Sobrino de Botin continua firme e forte.

Ali também funcionava desde o século 16 uma bodega, onde os locais se aliviavam do tórrido calor do verão madrileno, mas que em 1725 foi posta abaixo para a inauguração da nova taverna. Um prédio, então novinho em folha, foi erguido no local, preservando-se apenas a cave subterrânea, que existe até hoje e é o salão preferido dos habitués do Botín atual.

Mas o verdadeiro marco da inauguração foi a instalação do forno decorado com azulejos destinado a assar pratos típicos da Província de Castilha. Ele está lá ainda hoje. As famílias que se sucederam na direção do estabelecimento nos séculos seguintes sempre apostaram que a qualidade do forno foi a responsável pela longevidade do Botín. E, embora algumas outras coisas tenham mudado, como a extinção do alojamento para hóspedes que funcionou no prédio até 1860, o forno continua lá transformando carnes cruas em pratos crocantes e deliciosos.

Mesmo sendo tão rico em história, o Botín nunca foi um lugar de nobres. A plebe sempre se esbaldou por lá, produzindo muita sujeira para o funcionário mais ilustre da casa, um tal de Francisco de Goya, o famoso pintor espanhol.

O Botín de hoje é um resultado de lendas como essa, mas continua fiel às suas raízes, com preços acessíveis a plebeus, bom vinho e alegria às noites, quando os trovadores invadem seus salões com estranhos instrumentos castelhanos. O prato mais famoso ainda é o cochinillo asado, um leitãozinho de 21 dias que por cerca de R$ 25,00 leva o gourmet ao paraíso.

Sobrino de Botin. Calle dos Cuchilleros, 17. Madrid.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Carne Suína Ganha Espaço e Derruba Mitos


Aquele bicho sujo, gordo e que transmite um monte de doenças está mais para o imaginário do que para a realidade. O porco moderno é esbelto, limpinho, criado em confinamento com higiene controlada e alimentado com ração, não mais com aqueles restos estranhos de comida.

Mesmo sem ter se desfeito dos estigmas do passado (de que tem alto teor de gordura e colesterol, transmite doenças mortais e é produzida em condições insalubres), a carne suína é a mais consumida no mundo. Esse patamar foi alcançado pelo reforço pesado da China como consumidor e pela queda da oferta, com o consequente aumento do preço, da carne bovina.

No Brasil, nota-se um crescimento progressivo da procura por essa carne. Com preço mais acessível, o produto tem se multiplicado nas mesas de restaurantes, preparado com técnicas apuradas, como choque térmico e cozimento longo em baixa temperatura. Pelas mãos dos chefs, o porco ganha leituras apoiadas em cortes ousados (além da tradicional trinca lombo-costela-bisteca) e as crendices sobre esse alimento estão sendo postas de lado.

Tradicionalmente no nosso país, até a década de 50, a extração da banha era o principal uso que se fazia desse animal. Ela tinha duas finalidades: ser usada como base para cozinhar e, na ausência de geladeira, conservar carnes imersas na gordura. A expansão da eletricidade e o surgimento dos óleos vegetais fez com que a banha deixasse de ser proveitosa e abriu alas para o aproveitamento da carne.

Com o avanço da engenharia genética, os níveis de gordura e colesterol da carne suína diminuíram, tornando-os comparáveis à bovina e a de frango. Sua banha também tem uma característica diferenciada: é disposta em uma camada, o que a torna mais fácil de ser separada da carne. Esse processo, por exemplo, não pode ser feito no boi, pois tem a gordura entremeada. E mais, segundo o cardiologista e nutrólogo Daniel Magnoni, o porco tem menos gordura saturada que os bovinos.

Quanto ao medo de doenças que podem ser transmitidas pela carne de porco, como teníase e cisticercose, a resposta dos especialistas é unânime: com os criadouros atuais, a chance de o suíno se tornar hospedeiro de verme e contaminar alguém é quase nula. Inclusive, cortes como o lombo e mignon de porco já começam a aparecer mal passados, ponto ideal pela sua composição.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Melhores da Gastronomia 2011 - Prazeres da Mesa

A votação para Melhores da Gastronomia 2011 pela Prazeres da Mesa está na reta final. Para eleger o melhor em cada categoria, basta enviar um email para melhoresdagastronomia@prazeresdamesa.com.br e indicar os seus favoritos. A disputa está acirrada!

Após esse prazo, os três mais votados em cada categoria partem para a segunda fase, na qual um júri especializado convocado pela Prazeres da Mesa vota e dá o aval final. Assim, chegamos aos nomes que tiveram papel de destaque no cenário nacional de 2010 para 2011.

Segue a lista dos indicados. BOA SORTE A TODOS!!!

Chef do Ano

Douglas Van Der Ley (É, Recife)
Pascal Valero (Kaá, São Paulo)
Felipe Bronze (Oro, Rio de Janeiro)

Chef Revelação

Ivo Lopes (Due Cuochi, São Paulo)
Alessandro Dirienzo (Escola Mediterrâneo, São Paulo)
Thiago Castanho (Remanso do Peixe, Belém)
Chico Ferreira (Le Jazz, São Paulo)

Restaurante do Ano

Kaá (São Paulo)
Tre Bicchieri (São Paulo)
Clos de Tapas (São Paulo)
210 Dinner (São Paulo)

Restaurante de Cozinha Brasileira

Mocotó (São Paulo)
Oficina do Sabor (Olinda)
Na Cozinha (São Paulo)
Aconchego Carioca (Rio de Janeiro)
La Dolce Vita (Belo Horizonte)
Gosto com Gosto (Visconde de Mauá)

Barman do Ano

Pereira (SubAstor, São Paulo)
Marcelo Serrano (MyNY Bar, São Paulo)
Henrique Martins (Kinoshita, São Paulo)

Sommelier do Ano

Diego Arrebola (Olivetto, Campinas)
Jaci (Adega Santiago, São Paulo)
Thiago Locatelli (Varanda Grill, São Paulo)
Jô Barros (Duí, São Paulo)

Barista do Ano

Isabela Raposeiras (Coffe Lab, São Paulo)
Cecilia Sanada (Octavio Café, São Paulo)
Marco De La Roche (Drink Lab, São Paulo)
Alex Pereira (Biobarista, São Paulo)
Felipe Oliveira (Lucca, Curitiba)

Bar do Ano

BottaGallo (São Paulo)
Back Gastrobar (São Paulo)
Venga (Rio de Janeiro)
Myny (São Paulo)

Chef Pâtissier

Bruno Grando (Buffet Colonial,São Paulo)
Carolina Carnicelli e Renata Fernandes (Folie, São Paulo)
Carole Crema (La Vie en Douce, São Paulo)
Flávio Federico (Só Doces, São Paulo)
Vivi Cabral (Mr. Lam, Rio de Janeiro)
Mara Mello (Mara Mello Doces, São Paulo)

Banqueteiro do Ano

Cacá Mesquita (Buffet Colonial, São Paulo)
Adriana Cymes (Buffet Arroz de Festa, São Paulo)
Paula Labaki (Lena Labaki, São Paulo)
Renata Vanzetto (Casa Marakuthai, Ilhabela)

Brigada

A Bela Sintra (São Paulo)
Vinheria Percussi (São Paulo)
Parigi (São Paulo)

Artesão da Gastronomia

Amma (Chocolates)
Companhia das Ervas (Ervas e Temperos)
Balkis (Queijos)

Café em Stop Motion




Nada mais simpático do que uma boa animação, ainda mais quando se trata de algo relacionado a gastronomia.

Este vídeo é uma apresentação em Stop Motion, todo feito com papel craft. A criação é de Wan-tzu, um designer gráfico de Taipei, Taiwan, e se chama Coffee Time.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Bastidores do El Bulli vai Virar Filme


Nesta terça feira (10/05), o chef espanhol Ferran Adrià anunciou que a vida de quatro aprendizes do restaurante elBulli pode se tornar uma superprodução de Hollywood. A notícia foi dada durante a apresentação do livro "The Sorcerer's Apprentices" (Aprendizes de Feiticeiro), de Lisa Abend.

O chef explicou que só falta a assinatura do contrato, que se trata de um investimento de US$ 40 milhões, e revelou que o filme seria inspirado na histórias de Lisa Abend, correpondente da revista TIME na Espanha.

Se confirmado, o projeto será filmado no elBulli, onde serviriam comidas e misturariam atores com cozinheiros reais. Adrià seria representado por um ator. Ele explicou que o filme tem a intenção de transmitir o espírito do elBulli, que consiste em "compartilhar, assumir riscos e paixão". O filme terá produção de Jeff Kleeman e roteiro de David Wilson.

Como correspondente da revista "Time" na Espanha, Lisa Abend decidiu em 2009 fazer uma reportagem sobre o melhor restaurante do mundo, onde conheceu Adrià e sua equipe. A cada ano são contratados "32 a 35 jovens cozinheiros procedentes de todos os cantos do mundo que permanecem ali uma boa parte da temporada como aprendizes", explicou.

Abend conta que os aprendizes veem de países diferentes como o Japão, Coreia do Sul, Venezuela, Estados Unidos, Índia, Brasil e Chile. Quase todos esses "estagiários" chegam já com certa experiência, após trabalhar em um pequeno restaurante ou um hotel, têm na maioria menos de 30 anos e há mais homens que mulheres.

Em "Aprendizes de Feiticeiro", Abend narra histórias desses jovens. Sem dúvida a mais impressionante foi a do sul-coreano Myungsun "Luke" Jang, que chegou na metade da temporada e permaneceu acampado três dias na frente da porta até ganhar uma oportunidade.

À primeira vista, o prêmio de ser aprendiz não é muito bom, como lembra a escritora, pois "terão que trabalhar de 12 a 14 horas durante seis meses, não recebem salário e ganham em troca uma cama em um apartamento, que não é de luxo, e uma refeição ao dia".

Segundo Abend, todos pensam que chegaram ao país das maravilhas, ficam impressionados com os produtos e a organização. Mas com o passar dos dias, começa a desilusão. Adrià lhes propõe trabalhos duros, como limpar as pedras do estacionamento, extrair pinhões das pinhas em quantidades suficientes para servir no jantar risotos nos quais os grãos de arroz são substituídos pelos pinhões ou tirar o germe do interior dos grãos de milho.

Ferran defende esta filosofia: "Limpar as pedras ou tirar pinhões é a forma mais fácil de eliminar o glamour da cozinha", mas acrescenta que "com elBulli Foundation será diferente, pois todos terão uma bolsa de estudos, não virão para aprender mas para criar, e por isso buscaremos o máximo talento".

Quando elBulli fechar definitivamente suas portas no dia 30 de julho, deixará um legado que, na opinião de Abend, são os mais de mil jovens que passaram por ele e que hoje estão no mundo todo. Adrià reconhece que acompanhar os jovens premiados é "a melhor recompensa".

René Redzepi, Andoni Luis Aduriz, Joan Roca, Massimo Bottura, José Andrés, Jason Atherton, Quique Dacosta, Nuno Mendes, Josean Martínez Alija, Denis Martin, Paco Roncero, Jean George Klein, Sergi Arola, Carles Abellán, Albert Raurich e Paco Morales são "a geração mais influente no mundo atual da cozinha", que têm em comum a experiência como aprendizes do feiticeiro Adrià.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Entrevista com Alex Atala no Programa Roda Viva

Bloco I



Bloco II



Bloco III



fonte YOUTUBE TV CULTURA

WalMart Chinês


Todo mundo sabe que a alimentação dos chineses é muito rica em história, tradição, técnicas e ingredientes, mas para nós, ocidentais, essa tradição pode causar espanto e um certo desconforto.

As fotos a seguir são de alguns alimentos peculiares, vendidos pelo WalMart em solo chinês. Obviamente, depois de muito estudo e adequações, a rede americana conseguiu se adequar ao costumes locais e hoje consegue atender aos paladares mais exigentes. As lojas têm conseguido faturar milhões de dólares e o WalMart está cada vez mais perto de se tornar a maior rede de supermercados na China. Hoje fica atrás apenas do Carrefour.

A seguir, vejam algumas das "peculiaridades" vendidas no mercado. Dá um fominha...

Humm, rostinho de porco seco. Focinho apetitoso.


Costelinhas, aparentemente, de porco.


Pato seco. 


Leite de cavalo em pó. Campeão de vendas.


  
Água com sabores deliciosos: strogonoff, burguer e pato laqueado.



Água diet... Água Diet?
 

Jacaré em pedaços.


Promoção de óleo de milho e suco de laranja.


Cueca bactericida. Idéia aparentemente boa...



Cada um escolhendo seu pedaço de carne. Todos uniformizados e com equipamentos apropriados para manipulação de alimentos, tudo muito higiênico...


Balinha de carne apimentada.



Sapos vivos, tudo muito fresco.
 

Mais sapos, junto com tartarugas.


 Arroz a granel



Jacaré inteiro.



 Não sabemos o que é, nem queremos saber e temos raiva e nojo de quem sabe.



segunda-feira, 9 de maio de 2011

Apesar de Tabu, Produção de Carne de Cavalo Cresce na Argentina


Considerado um dos povos mais carnívoros do mundo, os argentinos vêm consumindo cada vez mais outros tipos de carne além da bovina. Mas o hábito argentino tem alguns limites, como a carne de cavalo, rechaçada pela maioria da população. O paradoxo dessa história é que enquanto comer carne equina é considerado tabu em muitas partes da Argentina, o país é um dos maiores produtores mundiais do alimento.

Por muitos anos, a Argentina chegou a ser o maior exportador no mundo da carne de cavalo. A carne equina é exportada principalmente para Rússia, que compra metade da produção, e também para Holanda, França, Itália, Japão, Bélgica e Alemanha.

Os fãs de carne de cavalo garantem que ela é mais saudável e tem menos colesterol que a bovina, além de ter maior concentração de ferro e de estar livre do risco de febre aftosa. Na Argentina, a produção da carne equina começou a crescer a partir de 1995, quando uma lei regulamentou a atividade.

Antes disso, a criação de cavalos para consumo doméstico era proibida. Isso porque, em um país de forte tradição no campo, o animal é considerado um companheiro do homem e não uma fonte de alimento.

Em 2010, foram sacrificados mais de 150 mil cavalos na Argentina para suprir a demanda do exterior, segundo dados da Senasa (Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agrária e Alimentação, com sigla em espanhol). No total, o país tem 1,9 milhão de cavalos registrados.

Apesar de ser um líder mundial na exportação da carne equina, com 23 mil toneladas comercializadas para o exterior, o negócio representa apenas uma fração de seu comércio exterior. O valor gerado por esse negócio em 2010 foi de 75 milhões de dólares, o que é muito pequeno se comparado ao mais de US$ 1 bilhão gerado pela carne bovina e os US$ 17 bilhões da soja.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Google Mostrará Interior de Restaurantes



O Google está criando um serviço chamado Google Business Photos. Pelo nome, parece se tratar de algo chato, mas não é. É uma super ferramenta, muito semelhante ao Google Street View, mas que mostra o interior de restaurantes, lojas e hotéis.

O serviço permitirá que empresas cadastradas no Google Street View mostrem o interior do seu estabelecimento. O serviço será produzido por fotos justapostas, exatamente do mesmo jeito que o Google Street View. Obviamente, não entrará nenhum carro fotografando cada estabelecimento. O serviço deverá ser solicitado pelos empresários, que devem se inscrever no Google solicitando a visita de um fotógrafo da empresa. Atualmente, já existem diversos fotógrafos percorrendo os establecimentos de cidades selecionadas dos EUA, Japão, Austrália e Nova Zelândia.

O projeto ainda não tem data prevista de lançamento, mas especula-se que dentro de uma semana já estará no ar. Não existem informações se o serviço será disponibilizado no Brasil. Nós temos grande interesse que chegue logo nas terras tupiniquins...

A ação do Google faz sentido, já que o Bing está a frente do mercado de fotos de interior com seu Photosynth, que permite que donos de estabelecimentos enviem fotos panorâmicas do local.

Veja abaixo o vídeo de lançamento feito pela empresa, uma animação muito simpática.



quinta-feira, 5 de maio de 2011

Culinária Brasileira Busca seu Lugar na Gastronomia Mundial


Os sabores característicos da tradicional cozinha brasileira receberam, e ainda recebem, influência de diversos outros países. Contudo, nos últimos anos há um movimento no sentido de buscar uma nova identidade da cozinha local, que já seduz a crítica internacional. Apesar disso, o trabalho deve continuar, para que possamos conquistar os paladares mais exigentes e marcarmos de uma vez por todas nosso posicionamento na gastronomia mundial.

Segundo o crítico gastronômico Álvaro Cézar Galvão, a gastronomia que está sendo feita no país é a base de produtos que só nós temos. São receitas de nossas avós que têm se somado às novas técnicas, obtendo novos sabores e texturas. Para ele, a recente classificação do restaurante paulistano D.O.M. entre os dez melhores do mundo é o resultado do trabalho de uma nova geração de chefs brasileiros que compreenderam que não é preciso mais copiar o que vem da Europa.

Alex Atala se declara entusiasmado com tudo que tem acontecido. Segundo ele, nós brasileiros sempre fomos orgulhosos quanto ao futebol e música, mas quando o assunto é cozinha, sempre quisemos parecer europeus. Alex acredita que a gastronomia brasileira está atravessando um momento de transformação e a nova geração de chefs têm cada vez mais orgulho de ser brasileira. O chef descreve essa nova gastronomia como a arte de aproveitar o melhor momento dos ingredientes e das receitas brasileiras, somados às influências de outros lugares.

Segundo Helena Rizzo, chef do Mani, eleito o 74° melhor restaurante do mundo, a gastronomia brasileira não deve se isolar no processo de busca e construção da identidade brasileira. O ideal seria continuar descobrindo ingredientes e aproveitar as características do Brasil de abraçar, com muita facilidade, influências de fora. Helena considera que a principal característica é a combinação da aposta pelo produto originalmente brasileiro somado à diversidade mundial. Ela se mostra otimista sobre a aceitação das novidades culinárias por parte de um consumidor que, apesar de ter preconceitos, é aberto e sente curiosidade.

fonte FOLHA DE SÃO PAULO

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Cerveja Brasileira Ganha Duas Estrelas em Teste Internacional


A KAISER (sim, a KAISER) conquistou pela segunda vez um título no Superior Taste Awards do ITQI (Internacional Taste & Quality Institute) em Bruxelas, na Bélgica. No ano de 2009, a marca faturou sua primeira estrela. Neste ano, a cerveja foi contemplada com duas estrelas, sendo um total de três. O selo da premiação já está disponível nas embalagens do produto.

O júri do ITQI é formado por chefs e sommeliers que avaliam e prestigiam bebidas e comidas de qualidade superior em todo o mundo. O Superior Tast Award é o maior reconhecimento atestado pela organização e tem reconhecimento internacional.

terça-feira, 3 de maio de 2011

Cake Pops




O cake pop, que também pode ser chamado de cakeballs ou cakesides, promete fazer sucesso e entrar na briga para decretar o fim do reinado do seu primo mais velho, o cupcake. Essa nova invenção vem fazendo sucesso nos EUA e, aos poucos, começa a chegar aos blogs e festas de criança pelo Brasil. A novidade não deixa de ser um bolo apresentado em um palito, como se fosse um pirulito, e servido, mais ou menos, como se fosse um sorvete.

De uma forma geral, o bolo é produzido e, depois de frio, é esfarelado e misturado com alguns cremes para dar liga. Os principais são creme de leite, leite condensado, nutella, doce de leite, um brigadeiro um pouco mais líquido, cream cheese, entre tantos outros. Depois de pronta a mistura, a massa é moldada em um palito e levada ao freezer por pouco tempo, para que fique bem gelada, mas sem chegar a congelar.

Depois de moldados, a decoração tende ao infinito. Pode ser cortado, moldado em diversas formas e decorados dos mais variados jeitos. Alguns  chegam a virar pequenas obras de arte na mão de gente talentosa e especializada. Combina  muito bem com festas de aniversário, chás de panela e casamentos modernos.

fonte PETITCHEF
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...